"Caminhais em direção à solidão. Eu não, eu tenho os livros." Marguerite Duras

25
Nov 13

A escritora Alexandra Lucas Coelho foi a grande vencedora do Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores/Direção-Geral do Livro e das Bibliotecas, com o romance E a noite roda.


Na disputa por este prémio, atribuido por unanimidade, estavam, também, os romances Jesus Cristo Bebia Cerveja, de Afonso Cruz, A Rapariga Sem Carne, de Jaime Rocha,O Varandim seguido de Ocaso em Carvangel, de Mário de Carvalho e O Banquete, de Patrícia Portela.

 

E a noite roda é o primeiro romance de Alexandra Lucas Coelho, jornalista do jornal Público, que já tem outros títulos publicados, que são relatos de viagem. Os outros livros desta escritora são Oriente Próximo, de 2007; Caderno Afegão, de 2009; Viva México, de 2010; e Tahrir!, de 2011.

 

Este foi a 31ª edição do Grande Prémio de Romance e Novela  APE/DGLB, que teve início no ano de 1982, então designado Grande Prémio de Romance e Novela  APE/IPLB.

 

Os escritores galardoados com este prémio e respetivas obras são apresentados em seguida:

Ano

Autor

Obra

1982

José Cardoso Pires

Balada da praia dos cães

1983

Agustina Bessa Luís

Os Meninos de Ouro

1984

Mário Cláudio

Amadeo

1985

António Lobo Antunes

Auto dos danados

1986

David Mourão Ferreira

Um Amor Feliz

1987

Vergílio Ferreira

Até ao fim

1988

João de Melo

Gente feliz com lágrimas

1989

Paulo Castilho

Fora de Horas

1990

Maria Gabriela Llansol

Um Beijo Dado Mais Tarde

1991

José Saramago

O Evangelho segundo Jesus Cristo

1992

Helena Marques

O último cais

1993

Vergílio Ferreira

Na tua face

1994

Mário de Carvalho

Um deus passeando pela brisa da tarde

1995

Teolinda Gersão

A Casa da Cabeça de Cavalo

1996

Augusto Abelaira

Outrora agora

1997

Rui Nunes

Grito

1998

Fernanda Botelho

As contadoras de histórias

1999

António Lobo Antunes

Exortação aos crocodilos

2000

Maria Velho da Costa

Irene ou o contrato social

2001

Agustina Bessa Luís

O Princípio da Incerteza I - Jóia de Família

2002

Lídia Jorge

O Vento assobiando nas Gruas

2003

Mafalda Ivo Cruz

Vermelho

2004

Vasco Graça Moura

Por detrás da magnólia

2005

Francisco José Viegas

Longe de Manaus

2006

Maria Gabriela Llansol

Amigo e amiga: curso de silêncio de 2004

2007

Filomena Marona Beja

A cova do lagarto

2008

Julieta Monginho

A terceira mãe

2009

Rui Cardoso Martins

Deixem passar o homem invisível

2010

Gonçalo M. Tavares

Uma Viagem à Índia

2011

Ana Teresa Pereira

O Lago

2012

Alexandra Lucas Coelho

E a noite roda

 

Alexandra Lucas Coelho

Alexandra Lucas Coelho


E a noite roda, 2012

E a noite roda

Blog da escritora: http://blogues.publico.pt/atlantico-sul/

publicado por companhiadoslivros às 17:49

17
Nov 13

O mundo das letras ficou muito mais pobre com a morte da escritora britânica, de 94 anos, Doris Lessing.

 

A mais velha escritora a receber o Prémio Nobel da Literatura, em 2007, tem várias obras traduzidas e publicadas em Portugal.

 

Amar de novo, Os diários de Jane Somers, A Boa Terrorista, O quinto filho, A erva canta,  Experiências Sirianas, Shikasta, A formação do representante do planeta 8, Gatos e mais Gatos e o Caderno Dourado são algumas das obras que podemos encontrar em português.

 

Doris Lessing ficará, no entanto, entre aqueles que permanecerão na memória e na história pelo seu papel inestimável, e valor irrefutável, para a Literatura mundial.


 

"Depois duma certa idade - às vezes muito cedo, para alguns de nós - já não há pessoas novas, nem bichos, sonhos, caras, acontecimentos: tudo já aconteceu antes, apareceu antes, com máscaras diferentes, diferentes roupas, outra nacionalidade, outra cor; mas é o mesmo, o mesmo, e tudo é um eco e uma repetição; e nem há dor que não seja uma recorrência de outra coisa lá atrás na memória."

 Doris Lessing, Gatos e Mais Gatos

 

Doris Lessing
(1919-2013)
Requiescat in pace
Doris Lessing


publicado por companhiadoslivros às 23:19

05
Nov 13

"Alimento todos os dias uma esperança quase ridícula, quase utópica, de uma Angola mais justa". Esta foi uma frase que marcou a entrega do Prémio Saramago, proferida pelo jovem escritor angolano, Ondjaki (o "Guerreiro"), autor do romance Os Transparentes, vencedor da edição de 2013.


Ndalu de Almeida, nome do jovem escritor de apenas 36 anos, nascido em Luanda, sociólogo, poeta, guionista, escritor e artista plástico, tornou-se, assim, no 8º vencedor deste prémio literário, sucedendo à escritora brasileira Andréa del Fuego, que, em 2011, venceu com o romance Os Malaquias.


Ondjaki já havia sido galardoado com o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, em 2007, com o seu livro Os da minha rua; com o Prémio Grinzane para o melhor escritor africano, em 2008; e, em  2010, ganhou no Brasil o Prémio Jabuti, na categoria juvenil, com o romance Avó Dezanove e o Segredo do Soviético.


Na cerimónia de entrega do prémio, na Casa dos Bicos, sede da Fundação Saramago, Ondjaki, falando sobre o processo de escrita do livro Os Transparentes, referiu: "Fi-lo com o que tinha dentro de mim, entre verdade, sentimento, imaginação e amor. É uma leitura de carinho e de preocupação. É uma celebração da nossa festa interior, trazendo as makas, os mujimbos, algumas dores, alguns amores. Penso que todos queremos uma Angola melhor"

 

Resta-nos dar os parabéns a Ondjaki e desejar que escreva muitos mais livros e enriqueça o mundo literário.

 

Ondjaki 

Ondjaki


Os Transparentes



publicado por companhiadoslivros às 19:28

Novembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO