"Caminhais em direção à solidão. Eu não, eu tenho os livros." Marguerite Duras

13
Out 15

António Tavares foi o vencedor do Prémio literário Leya com a sua obra O Coro dos Defuntos, cuja história decorre entre os anos de 1968 e 1975, na Cova da Beira.

O autor agora premiado já havia sido finalista em 2013, com o romance As Palavras que me Deverão Guiar um Dia, publicado sob a chancela da Teorema.

 Segundo palavras de Manuel Alegre, presidente do júri, Antóno Tavares Venceu o prémio Leya devido à "escrita muito madura que recupera a vivência rural". Alegre destacou, também, a diversidade de personagens realistas e simbólicas, típicas e insólitas, num estilo que sabe combinar matizes tradicionais atuais da língua portuguesa.

O júri do concurso foi constituído pelos escritores Manuel Alegre, Nuno Júdice, Pepetela e José Castello, pelo professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra José Carlos Seabra Pereira, pelo reitor do Instituto Superior Politécnico e Universitário de Maputo, Lourenço do Rosário, e pelaa professora da Universidade de São Paulo Rita Chaves.

Muitos parabéns ao vencedor!

 

António Tavares, Prémio Leya 2015

 

Romance do autor, finalista do Prémio Leya em 2013

 

 

publicado por companhiadoslivros às 15:06

Outubro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
15
16
17

18
19
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO